Dons do Espírito Santo

Ao completar o Seu ministério aqui na Terra, Jesus Cristo falou aos discípulos que permanecessem em Jerusalém até que do alto fossem revestidos de poder (Lucas 24:49; Atos 1:8), a fim de poderem cumprir com a grande comissão, que se encontra nos evangelhos escritos por Mateus e Marcos:

“É-me dado todo o poder no céu e na terra.

Portanto, ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos.” (Mateus 28:18-20)

“Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.

E estes sinais seguirão aos que crerem: em meu nome, expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão.” (Marcos16:15-18)

Seu propósito de ter vindo ao mundo tinha se cumprido: “Para isto o Filho de Deus se manifestou: para desfazer as obras do diabo.” (1 João 3:8)

Jesus Cristo venceu a morte ao tomar sobre Si todas as maldições resultantes do pecado que se iniciou no jardim do Éden.

Seus discípulos e todos que viviam na época de Jesus, Filho do Homem, O viram fazer muitos milagres. Ele deixou aos discípulos a incumbência de dar continuidade. Para isso, eles teriam que receber o poder dos altos, que se expressaria através dos dons do Espírito Santo (1 Coríntios 12,13 e 14) e dos dons de Cristo (Efésios 4:7-16).

Como os dons são do Espírito Santo, todos os nascidos de novo têm um pouco de tudo que é do Espírito Santo, pois Jesus Cristo veio habitar nos filhos de Deus através do Espírito Santo. Entretanto, quando uma pessoa é batizada no Espírito Santo, a Sua presença é mais intensificada e Ele concede os dons a todos que pedirem e como Ele decidir (1 Cor 12:11)

Vamos passar a estudar os dons do Espírito Santo, na ordem em que são mencionados (1 Cor 12:4-11).  A ordem não tem a ver com o grau de importância, pois todos os dons são importantes. Vale, porém, ressaltar que muito importante é que cada dom seja usado de maneira correta, com a unção do Espírito Santo e com a Sua direção.

  1. DOM DA PALAVRA DA SABEDORIA – A Bíblia menciona três tipos de sabedoria:
  • a sabedoria dos homens – que pode ser boa ou má, porém é limitada e pode trazer confusões e pode não ter resultados positivos.
  • a sabedoria diabólica – “Quem dentre vós é sábio e inteligente? Mostre, pelo seu bom trato, as suas obras em mansidão e sabedoria. Mas, se tendes inveja e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade. Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e diabólica. Porque onde há inveja e espírito faccioso, aí há perturbação e toda obra perversa.” (Tiago 3:13-16)
  • a sabedoria que vem dos altos – “Mas a sabedoria que vem do alto é, primeiramente, pura, depois, pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade e sem hipocrisia.” (Tiago 3:17)

O rei Salomão, filho de Davi, quando se tornou rei em Israel, pediu a Deus sabedoria e os seus livros (Provérbios e Eclesiastes) estão repletos de conselhos sábios. Citamos aqui a sua célebre definição da sabedoria: “O temor do Senhor é o princípio da sabedoria; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução.” (Provérbios 1:7).

O capítulo 8 de Provérbios é toda uma personificação da sabedoria. Em todo este livro, a sabedoria é mencionada oitenta e duas vezes, além do livro Eclesiastes, onde Salomão dá conselhos importantes sobre a vida.

Este dom da palavra de sabedoria é uma capacitação especial do Espírito Santo de sabedoria que alguém pode receber, a fim de ajudar pessoas a terem entendimento ou soluções em seus problemas ou em situações difíceis. Podemos lembrar de algumas pessoas que tinham esse dom, por exemplo, José que aconselhou o faraó para se precaver da fome que viria à terra; apóstolo Paulo que aconselhou o comandante de navio na tempestade, etc.

  1. DOM DA PALAVRA DO CONHECIMENTO – é a capacitação sobrenatural de revelar e de trazer à luz coisas escondidas ou segredos, tanto do passado, como do presente e futuro. Um exemplo bem conhecido encontra-se em Atos dos Apóstolos quando Ananias e Safira mentiram ao Espírito Santo (Atos 5).

Esse dom pode abrir caminhos para outros dons ou palavras proféticas, como por exemplo: cura, libertação ou direção profética.

  1. DOM DA FÉ – é uma capacitação poderosa e especial que vai além da fé mencionada ao longo da Bíblia. Existem diferentes tipos de fé:
  • a fé salvadora descrita em Efésios 2:8,9 – “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie.”
  • medida da fé – Deus é justo. Ele dá a todos igual oportunidade, isto é, Ele deu uma medida da fé: “Porque, pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não saiba mais do que convém saber, mas que saiba com temperança, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um.” (Romanos 12:3)
  • fé como uma semente de mostarda – Jesus também fala da fé como de um grão de mostarda e como cada pessoa deve cultivar essa semente até se tornar uma árvore: “… porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá – e há de passar; e nada vos será impossível.” (Mateus 17:20)
  • Jesus compara a fé com o reino de Deus, pois se pela fé expulsamos os espíritos imundos como Ele o fazia, nós também faremos o mesmo: “Mas, se eu expulso os demônios pelo Espírito de Deus, é conseguintemente chegado a vós o Reino de Deus.” (Mateus 12:28)

Essas descrições da fé não se igualam ao dom da fé. O dom da fé, que é concedido a alguns crentes no batismo do Espírito Santo ou depois do batismo do Espírito Santo, é uma capacitação e poderosa especial de fé. Vai além da fé que é dada a todos os filhos de Deus.

Também não significa que ao desenvolver a fé – como se cultiva a semente de mostarda para se tornar uma árvore –  um crente tenha necessariamente o dom da fé do Espírito Santo.

Todos devemos desenvolver a nossa fé através da Palavra de Deus, como está escrito: “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.” (Romanos 10:17); porém, vale ressaltar mais uma vez que há uma grande diferença na fé, como o dom da fé concedida pelo Espírito Santo. É uma fé para grandes feitos e milagres extraordinários.

  1. DONS DE CURAR – Todos podem perceber que este dom está no plural. Por quê? É porque há diferentes “especialidades”, isto é, algumas pessoas são usadas para curar câncer, outras para curar aparelho respiratório, outros alergia, etc. e outros podem curar quaisquer enfermidades.

  1. DOM DE MILAGRE – Na verdade, tudo que vai além do natural é um milagre, mas esse dom é um milagre de grande porte, em que do Espírito Santo não se limita apenas a uma cura. É um milagre que traz grandes mudanças em algumas circunstâncias ou situações físicas ou em relacionamentos entre pessoas, etc.

Em geral, também é o poder de Deus se manifestando na criatividade, tanto que algumas pessoas entendem como um dom de milagre criativo. Essa frase não é literalmente bíblica, mas explica a operação desse milagre.

  1. DOM DA PROFECIA – Esse dom não se limita à predição do futuro ou ao amaldiçoamento, visto que é um dom da Dispensação da Graça, que se iniciou após a vinda de Jesus Cristo que se fez maldição na cruz do Calvário. Sua ressurreição veio patentear a vitória sobre a morte e suas consequências.

No Novo Testamento, “profetizar” significa “falar a mente e o coração de Deus conforme o Espírito Santo revela”.

Para detalhes desse dom e do ministério profético, aconselhamos fazerem o curso “Profetas e Proféticos”, oferecido pela Escola Zao.

  1. DOM DO DISCERNIMENTO DOS ESPÍRITOS – é a capacitação especial de discernir as três classes de espíritos no mundo espiritual. Vamos detalhar e explicar as diferenças e como lidar ou relacionar-se com eles:
  • Deus Pai, Deus Filho Jesus Cristo, Deus Espírito Santo e os anjos – Jesus Cristo deixou a receita aos discípulos, quando ensinava a conhecerem os corações das pessoas: “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores. Por seus frutos os conhecereis.” (Mateus 7:15-20)

Tudo que vem de Deus é paz e ordem: “Porque Deus não é Deus de confusão, senão de paz, …” (1 Coríntios 14:33)

Mencionamos apenas esses exemplos, mas há muitas outras passagens bíblicas que nos ajudarão a ver a fonte de todas as coisas.

Uma vez, por ocasião de libertação de uma moça, os ministradores não estavam tendo sucesso, quando o próprio diabo falou pela boca daquela pessoa possessa do diabo: “2 Coríntios 13:8”.  Nisso, os ministradores foram correndo abrir a Bíblia e leram: “Porque nada podemos contra a verdade, senão pela verdade.” Perceberam que a moça estava escondendo um pecado. Ela confessou e imediatamente ela ficou liberta. Nada pode contra Deus triúno. Deus é verdade! E tudo que Deus faz é perfeito e dura eternamente.

  • espírito do maligno: A Bíblia fala deles: Satanás, diabo, espíritos imundos, demônios, diabos, espírito de mudez, da surdez, etc. esses espíritos só trazem enfermidades, perturbações, alucinações, roubos, homicídio, e toda espécie de pecado.
  • Existem níveis de autoridade maligna ou de malignidade. Por quê? O estudo de anjos e de anjos caídos explica essa questão. (Sugerimos estudar o volume 2 de “Entendendo a Deus”).

Algumas entidades malignas são mais fortes do que outras e requer-se mais poder e autoridade e até mais jejuns e orações para vencê-las.

  • espírito do homem: como você deve saber, somos feitos corpo, alma e espírito. Através do espírito, entramos em contato com o mundo espiritual tanto celestial como das trevas do maligno. Na verdade, Deus formou o homem para ter a sua escolha pessoal, apesar de haver casos extremos em que a alma é dominada pelos poderes malignos.

Conforme o apóstolo Paulo há o homem natural, carnal e espiritual (1 Coríntios 2:14,15; 2 Coríntios 3:1-3)

Esse dom do discernimento dos espíritos é diferente de percepção, impressão, intuição ou desconfiança. Há pessoas que, por natureza, são mais sensíveis ao mundo abstrato ou espiritual do que outras pessoas e percebem sentimentos ou têm sensações sobre pessoas, sobre clima do lugar ou ambiente. Esse dom, porém, leva um filho de Deus a entrar no oculto pelo poder do Espírito Santo.

O dom do discernimento dos espíritos é a capacitação sobrenatural dada pelo Espírito Santo para distinguir a fonte de algum acontecimento, o clima de um ambiente, de algo sutil e imperceptível humanamente falando, e penetra no profundo do mundo espiritual. Quem tem esse dom do discernimento dos espíritos pode trazer libertação mais eficazmente.

A grande questão é o que fazer quando esse dom do discernimento dos espíritos funciona. O crente que for maduro espiritualmente, vai atuar com amor redentor e não vai cair no pecado do julgamento ou condenação das pessoas em erro e nem vai idolatrar alguém em evidência.

Um crente maduro, que recebeu esse dom, será aquele que tem muita base bíblica. O sinal de maturidade, especialmente nesse dom, é medido pelo seu conhecimento da Escritura Sagrada e pela sua vivência de intimidade com Deus. Deus sempre deseja salvar a todos e não condená-los.

  1. DOM DE VARIEDADE DE LÍNGUAS – em primeiro lugar, lembremos que as línguas espirituais ou angelicais, são a primeira manifestação sobrenatural que acontece no batismo do Espírito Santo. Todos os cristãos podem ter muitas experiências sobrenaturais, mas o marco do batismo do Espírito Santo é o falar línguas sobrenaturalmente, sem nunca antes ter aprendido.

Com o passar do tempo e depois de muito usar esse dom, pode haver variedades, como por exemplo: línguas espirituais para louvor e adoração, de intercessão e de guerra espiritual.

Esse dom de falar em línguas angelicais ou espirituais oferece ricas bênçãos aos cristãos:

  • falam a Deus e não a homens (1 Cor 14:2), isto é, falam direto com Deus
  • falam mistérios (1 Cor 14:2), isto é, entram no âmbito espiritual
  • edificam-se a si mesmos (1 Cor 14:4), isto é, se fortalecem no seu interior
  • oram e cantam com seu espírito, mesmo que no seu entendimento não saibam o que oram e cantam (1Cor 14:14,15), isto é, estarão trazendo a presença de Deus mesmo para quem não conhece esse dom e até pode haver a manifestação da presença de Deus, revelando os segredos dos corações, gerando arrependimento e adoração (1 Cor 14:23-25)
  • podem ser edificados na sua mais santa fé (Judas 20)
  • podem se conservar no amor de Deus e experimentar as Sua misericórdias do nosso Senhor Jesus Cristo para a vida eterna (Judas 21)

  1. DOM DE INTERPRETAÇÃO DAS LÍNGUAS – como vimos, o falar as línguas espirituais ou angelicais deixa o entendimento infrutífero, isto é, requer interpretação, que é o dom do Espírito Santo para algumas pessoas. Esse dom capacita um cristão a interpretar não de sua própria mente, mas recebe do Espírito Santo sobrenaturalmente o significado das línguas espirituais ou angelicais, faladas ou cantadas.

Todos esses dons do Espírito Santo funcionam para abençoar todas as pessoas tanto dentro do contexto de igrejas ou reuniões de cristãos, como pessoas fora desse contexto.

Como Jesus Cristo, que andava no meio da multidão, mais do que ficava dentro das sinagogas, e curava os enfermos de toda categoria, libertava os oprimidos, consolava os tristes e aliviava os cansados, alimentava os famintos e perdoava os pecadores, Deus espera o mesmo de nossa parte.

Dessa maneira, operando com os dons do Espírito Santo, poderemos cumprir a Grande Comissão de Jesus Cristo e poderemos trazer o Reino de Deus aqui na terra, libertando os cativos e oprimidos, curando os enfermos e fazendo os milagres para demonstrar o poder e o amor do nosso Senhor Deus.

 

CONSIDERAÇÕES E OBSERVAÇÕES FINAIS:

Por muitos anos, muitas denominações de Igreja do Senhor Jesus Cristo, em toda a sua trajetória ao longo dos séculos, por ignorância, caíram no desuso desses dons do Espírito Santo, devido à falta de ensinamento nessa área.

Creio que o mau uso dos dons espirituais causou escândalos e confusões no meio dos crentes. Isso deve ter acontecido devido à falta de ensino e esse período historicamente chamou-se o Período de “Cessacionismo”, isto é, os dons cessaram porque os crentes zelosos quiseram colocar ordem em suas igrejas locais; entretanto, a Bíblia não mudou, pois tudo pode passar, os céus e a terra, mas como o próprio Senhor Jesus Cristo falou, as Suas Palavras jamais passariam (Mateus 24:35).

Algumas igrejas continuaram no mover do Espírito Santo e na operação dos dons espirituais, mas a maioria das denominações evitaram e resistiram à operação dos dons do Espírito Santo, por zelo excessivo.

Nesse ínterim, o Satanás não parou e usou os dons de maneira enganosa e falsa e até enfeitiçando muitas pessoas que o consultavam através de cartomancia, adivinhações, consultas, etc.

Como Satanás esteve (e ainda está) usando os dons espirituais para enganar as pessoas?

Vamos fazer um breve paralelo dos dons falsificados malignamente. Cada dom falsificado escraviza as pessoas que consultam feiticeiros, adivinhadores, leitura de mãos, consulta aos mortos, leitura de mão, consulta de astrologia, leitura de cristais, superstições com amuletos, pedras ou outros objetos, etc.

  1. Dom da palavra da sabedoria – conselhos errados e enganosos que terminam com o mal
  2. Dom da palavra do conhecimento – palavras de adivinhação
  3. Dom da fé – gerando falsa fé nas mentiras
  4. Dons de cura – Satanás faz curas que acabam escravizando as pessoas que mais tarde dependem mais dessas curas e as curas duram pouco tempo e causam outras enfermidades
  5. Dom de milagre – faz milagres falsos que terminam em mais opressões e mais enfermidades físicas e às vezes em casos de perturbações psicológicas e emocionais, insônias, perturbações noturnas, etc.
  6. Dom de profecia – predição de futuro, causando mais dependência de consultas perturbadoras e sem fim
  7. Dom do discernimento dos espíritos – enganam os consultantes com mentiras que vêm de demônios e perturbações, causando muitas crises, dissensões, bancarrotas ou falências financeiras, enfermidades, etc.
  8. Dom de variedades de línguas – falam línguas espirituais, mas do maligno
  9. Dom da interpretação de línguas – que podem ser invenções ou adivinhações, palavras de mentiras, predições, causando medo e dependência de mais consultas enganadoras.

Lembremos que Jesus chamou o diabo de pai da mentira, aquele que vem para roubar, destruir e matar:

“Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira.” (João 8:44)

“Em verdade, em verdade vos digo: eu sou a porta das ovelhas. Todos quantos vieram antes de mim são ladrões e salteadores … O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; …” (João 10:8 e segs.)

Quando entendemos esses fatos, mais devemos atuar nos dons do Espírito Santo para trazer eficazmente o Reino dos Céus aqui na terra e demonstrar o amor e o poder do nosso maravilhoso Senhor Deus.

Pastora Sarah Hayashi
sarah.hayashi@escolazao.com.br

É fundadora e pastora Sênior da Igreja Monte Sião desde 1977. Atualmente faz parte do Conselho pastoral da Igreja Monte Sião, além de estar ativa na Escola Zao, Ministério Diamantes (de terceira idade) e aconselhamento de família e casais da Igreja Monte Sião.

Nenhum Comentários

Escreva um Comentário

Quero Receber Conteúdo!

 

loading…